Notícia na Tela

Você se perguntou, "quanto vale a vida"?

Por Notícia na Tela
18 de novembro de 2016 05:00 Comentários
Recentemente foi feito uma enquete com a seguinte temática: Bandido bom é bandido morto. Até onde este enunciado consegue aguçar a imaginação do cidadão, cujo o mesmo é vítima desta situação? A pergunta infame que não cala é pra que tipo de bandido é esta sentença?
Todos os dias somos vítimas da roubalheira e da corrupção nas mais diversas modalidades, e como solução para esta doença moral é a morte, é a violência, porém vê-se que o senso de justiça não abrange as esferas da pirâmide social.
O bandido referido é o bandido chulo, o famoso ladrão de galinha, é o refém da sociedade excludente e preconceituosa, que seleciona os indivíduos para quem quer dar oportunidades, pois é desconfortante abandonar a zona confortável. Altruísmo, amor fraternal, tem sido sentimentos raros ou extintos, dando espaço para o rancor, ódio, e a sede de exterminar o mal pela raiz, neste caso, ceifando a vida.
Mas deve-se fazer a analise de que tais problemas sociais que atualmente desencadeia esta enquete impactante, tem inicio num setor conhecido como base da sociedade: a família. É na família que o caráter é moldado, e os ensinamentos acontecem com veemência e eficácia.
É deste meio que surge os grandes homens da sociedade, assim como os piores indivíduos. Existe uma necessidade urgente para restaurar a principal universidade da sociedade, a família. 
Bandido bom é bandido morto, quando esse bandido não sou, não é ninguém da minha família ou parente,  ou até mesmo um amigo mais chegado. Será mesmo que a solução é extinguir a vida? Ou concertar a base? Fica aí a indagação para melhor fundamentar as nossas opiniões.
Existem vários fatores que implica  na precariedade moral da sociedade. 
Deixe a sua opinião, sobre como amenizar a violência e a decadência moral na sociedade.

Eliena Leal
Educadora da Rede Adventista.
Licenciada em Geografia pela Universidade Leonardo da Vinci
Pós – Graduanda em Educação Ambiental – Ucam
Especialização em TICs – Universidade corporativa – Educação Adventista