Notícia na Tela

Presidente do Conselho do Vitória esclarece 'vazamento' de documentos

Por Notícia na Tela
26 de julho de 2017 11:32 Comentários

O caso do vazamento de documentos internos do Vitória voltou à tona na noite de segunda-feira (24). Em entrevista à Equipe dos Galáticos, o ex-presidente do clube, Alexi Portela Junior, negou invasão dos e-mails do clube pelo ex-diretor Ricardo Nery, acusado pela atual diretoria em queixa registrada na Polícia Civil. 
Na oportunidade, Alexi revelou que o presidente do Conselho Fiscal do clube, Walter Tannus passou os documentos a conselheiros e sócios, entre eles Nery, para discutir a situação financeira em que se encontra o clube. 
Nesta terça (25), Tannus resolveu se manifestar sobre o caso. Em comunicado, o presidente do Conselho negou ter vazado ilegalmente documentos e admitiu ter compartilhado com conselheiros em busca apenas de colaboração. 
Tannus ainda revelou que Ricardo Nery resolveu de imediato prestar seu depoimento, quando um dos advogados do clube propôs o adiamento, que não foi aceito pelo acusado. 
Ainda na nota, Walter Tannus reafirmou sua preocupação com a situação financeira a que, segundo ele, o clube foi levado nos últimos meses.

Confira o comunicado abaixo:  



NOTA DE ESCLARECIMENTO À COMUNIDADE RUBRO NEGRA
Diante de notícias acerca da ocorrência de supostos vazamentos de informações sigilosas do Esporte Clube Vitória, venho, na qualidade de Conselheiro e ainda Presidente do Conselho Fiscal esclarecer o que segue: 
1. Repudio com veemência a acusação de qualquer vazamento ilegal de minha parte, bem como, de igual de quaisquer dos membros do Conselho Fiscal. 
2. As atribuições e responsabilidades deste Conselheiro cumpriram integralmente o disposto na Lei 13.155/15 (Pró-fut) bem assim do Estatuto do Clube, cujos pilares se assentam na responsabilidade fiscal e financeira e na gestão transparente e democrática, sob pena de minha responsabilização pessoal, na forma do art. 24, da mesma Lei. 
3. A despeito de tais atribuições, cumpre-me o dever de avaliar as contas e contratos firmados pelo clube, com base nas informações disponibilizadas pelo Conselho Diretor atual (nem sempre, acessíveis a tempo e a contento), bem como o fiz nas contas do exercício passado. 
4. Exatamente para a análise minuciosa e comparativa da evolução dos gastos do EC Vitória ano 2016/2017  e considerando a experiência acumulada de importantes Sócios e Ex-Gestores do Clube, bem assim ciente das especificidades do futebol (nem sempre tão acessíveis a lógica administrativa convencional), solicitei a colaboração do Conselheiro e Ex-Presidente do Clube, Sr. Manoel Matos, que por sua vez, considerou adequado a contribuição do Ex-Diretor de Planejamento e Orçamento e atual membro do quadro societário do Clube, Sr. Ricardo Nery, tendo ambos prestado valorosa colaboração na identificação de diversas inconsistências. 
5. Qual foi minha surpresa quando – apenas um dos materiais produzidos (isto é, documento diverso daqueles disponibilizado pelo clube), mais precisamente o que cuida da análise das despesas com o elenco profissional, circulou pelas redes sociais, com conteúdo, inclusive, incompleto, e por tanto, impreciso. 
6. Após o Vitória acusar o Sr. Ricardo Nery através de denúncia crime de invasão do sistema de informática do clube, tomei conhecimento de que ao comparecer para prestar depoimento no intuito de esclarecer os fatos, de modo surpreendente, foi abordado por um dos inúmeros advogados do EC Vitória propondo-lhe o adiamento do seu depoimento, no que foi peremptoriamente rechaçado pelo denunciado, numa clara demonstração inequívoca do seu desejo de esclarecer os fatos. 
7. Não é segredo que venho manifestando preocupação com a situação financeira a que o Clube foi levado, e, por força do Cargo, tive oportunidade de debater tais fatos com o Ex-Presidente Alexi Portela (Conselheiro Nato), personagem cuja responsabilidade legal, estatutária e histórica são mais do que autorizadoras ao conhecimento da situação de comprometimento financeiro do clube. 
8. Vale dizer que uma vez que o inquérito policial corre em sigilo de justiça, e para evitar maiores especulações, convém aguardar o resultado do mesmo. 
9. Reitero que agi no estrito cumprimento de minhas obrigações legais e estatutárias, sempre preocupado com esta instituição secular, maior que pessoas ou grupos. (Galáticos Online)