Notícia na Tela

Para se vingar de ex, jovem inventa gravidez e faz festa de um ano para bebê

Por Notícia na Tela
3 de agosto de 2017 14:35 Comentários
ilustração
Uma jovem de 24 anos é suspeita de inventar que estava grávida para se vingar do ex-namorado. O caso aconteceu em Ribeirão Preto. De acordo com o rapaz que seria o pai da criança, a farsa foi descoberta apenas um ano depois: durante a festa de um ano da menina.
A Polícia Civil já instaurou inquérito para investigar o caso e, segundo o Ministério Público, a situação é gravíssima. Além da jovem, se for provado que outras duas pessoas ajudaram a manter a mentira de pé, elas também poderão responder. A defesa da suspeita, Carlos Andreotti, afirma que a jovem está em tratamento psiquiátrico. De acordo com o advogado, os documentos apresentados à Justiça serão periciados.
O casal se envolveu por quatro anos e o fim do relacionamento ocorreu em 2015. Na época, Victor Guerino Sedassare e Pâmela Ribeiro Serveli chegaram a sair juntos algumas vezes. De acordo com ele, ela não aceitava o fim do namoro. No último encontro, Pâmela contou que estava grávida e até apresentou um exame para comprovar a gestação.
Segundo a família do jovem, que não compareceu ao parto da bebê, Pâmela entrou na Justiça para obrigar que o ex-namorado pagasse despesas com a gestação. A mulher chegou a conseguir um mandado favorável ao pedido, mas após o nascimento da criança, pai e filha nunca se conheceram. Ao G1, Victor contou que Pâmela chegou a compartilhar fotos da criança em seu perfil em uma rede social, mas em muitas delas não era possível identificar o rosto da menina.
Desconfiada, a avó paterna da bebê Laura procurou o laboratório que fez o exame de gravidez de Pâmela e descobriu que era falso. Por isso, procurou um juiz.
A criança completaria 1 ano no dia 11 de julho e faria uma festa, com custo de R$ 3 mil. Convites chegaram a ser entregues e exatamente no dia da celebração um juiz pediu que Pâmela fosse ao fórum levar a certidão de nascimento da filha.
Na festa, a avó não encontrou a menina. “A festa estava linda e parecia ser real. Mas não tinha a criança. Nem a mãe da criança estava lá. Ela alegou que o oficial de Justiça tinha chegado na casa dela naquele momento, porque tinha uma denúncia de maus-tratos. Que a criança tinha ficado em casa com o pai dela e que assim que o oficial fosse embora, o pai dela viria com a criança pra festa”, narrou Rosa, mãe de Victor. No entanto, uma mulher invadiu o local afirmando que estavam tentando roubar a filha dela. (Metro1)