Notícia na Tela

Pres. Tan. Neves: Moradora usa rede social para denunciar falta de atendimento e medicamento em posto médico

Por Notícia na Tela
15 de setembro de 2017 18:52 Comentários
Uma moradora do Bairro Nova Esperança (Serraria), descreveu em sua rede social (Facebook) que teria ido ao posto de saúde da família no bairro para marcar uma consulta para seu filho que não havia passado muito bem na noite anterior, mas afirma não ter conseguido pala falta de médico, dentista e medicamentos de uso controlado.
Segundo a publicação, ela teria ido pegar medicamento para sua cunhada que tem problemas com pressão.
O Notícia na Tela, fez contato com o Secretário de Saúde que cordialmente sempre atende bem as demanda da redação, explicou como são os adotados os procedimentos de distribuição do medicamento nas farmácias dos PSF’s e a ausência dos profissionais mencionados pela usuária.
"trecho da postagem"
“Com relação a postagem da senhora venho informar que temos um médico lá quatro dias, esta semana houve um imprevisto com o mesmo e ele não pode comparecer, a medicação a assistência farmacêutica abasteceu semana passada todas as farmácias básicas temos um prazo para reabastecer. Com relação a área odontológica,  realmente estamos descobertos, sim, pois estamos com uma profissional a contratar no início de outubro”.

Quando questionado referente prazo de reabastecimento, se seria normativa local, uma vez que esta falta pode continuar prejudicando a imagem da secretaria negativamente. O secretário disse:

"A questão de distribuição de medicamentos é realizado com base na quantidade de pessoas das micro áreas, infelizmente o município tem tido um crescimento alarmante e o número de pacientes hipertensos e diabéticos nem se fala e, ainda, a nossa cidade vem recebendo por parte do estado o quantitativo de medicamentos com base no último censo, fato que está dificultando a cobertura ampla nos postos, mas estamos trabalhando pra não deixar ninguém descoberto", declarou Erisvaldo Brito.
Para o NT, as questões levantada pela usuária precisa ser além de avaliada com precisão, também ser vista como necessidade de um plano “B” para evitar os transtornos as partes envolvidas.