Notícia na Tela

Caso BaVi: entenda como será o julgamento desta terça-feira (27)

Por Notícia na Tela
27 de fevereiro de 2018 08:16 Comentários
O Julgamento dos incidentes do clássico BaVi acontecerá nesta terça-feira (27), a partir das 18h, no auditório do Tribunal de Justiça Desportiva do Futebol da Bahia (TJDF-BA). No local serão julgados todos os denunciados pelo procurador Hermes Hilarião Neto.
O procurador denunciou o Vitória no artigo 205 do CBJD, além de regulamento do Baiano, estatutos da FIFA e artigo 69 do código disciplinar, por "provocar suspensão do jogo causando prejuízo a terceiros”. A pena solicitada foi de, além da desclassificação e rebaixamento, multa de até R$ 100 mil.
Também pelo lado do Rubro-Negro, o técnico Vagner Mancini foi denunciado no artigo 258 do CBJD, "por ferir a ética disciplinar e suspender jogo, com pena de uma a seis partidas de suspensão. O zagueiro Kanu foi denunciado em dois artigos, no 254-A e no 243, por agressão e ameaça. A pena, para o defensor, é de R$ 100 a R$ 100 mil e mais quatro a 12 partidas de suspensão.
O meia Yago, o atacante Denílson e o meia-atacante Rhayner foram denunciados no artigo 254, por agressão, com pena de quatro a 12 partidas de suspensão. Já o goleiro Fernando Miguel foi denunciado no artigo 250, por ato hostil, que prevê pena de uma a três partidas de suspensão.
Pelo Tricolor, o volante Edson e o zagueiro Rodrigo Becão foram denunciados no artigo 254, por agressão, com pena de 4 a 12 partidas. Já Lucas Fonseca, foi denunciado no Artigo 250, por empurrar com força excessiva o pescoço - Ato desleal e hostil e tem pena de 1 a 3 partidas. O meia Vinicius foi denunciado por comemorar com gestos obscenos e foi enquadrado no Artigo 258-A, e prevê pena de 2 a 6 partidas.
Doutor Hermes Hilarião Teixeira Neto ainda denunciou os zagueiros Bruno Bispo e Ramon, o atacante André Lima e o supervisor Mário Silva, todos do Vitória, por ferir a ética disciplinar por suspender o jogo, sendo enquadrado no Artigo 258 e podem pegar de 1 a 6 partidas.
Escolhido relator, o auditor Marcos Eduardo Pinto Bonfim se declarou impedido de julgar o processo. O profissional alegou que advoga para uma das partes envolvidas, mas não revelou qual delas.
Com isso, foi definido como novo relator o auditor Maurício Garcia Saporito. Ele será o responsável por dar o primeiro voto.
Além deles, outros três auditores participarão do julgamento. São eles Jaime Barreiros Neto, Sylvio Quadros Mercês e Marcos Luiz Alves de Melo. Todos compõem a 1ª Comissão Disciplinar do TJDF-BA.

Condução da defesa por parte do Vitória
Advogada do clube nos processos julgados no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), no Rio de Janeiro, a advogada Patrícia Saleão atuará pela primeira vez em um caso do Vitória no âmbito da Justiça Regional. A profissional conduzirá a defesa do Rubro-negro no julgamento dos incidentes no clássico.
A diretoria rubro-negra optou por trazer Saleão, que é especialista em direito desportivo e uma das principais profissionais do ramo no Brasil. Patrícia terá ao seu lado outro advogado do clube, o experiente Manoel Machado.

Bahia contrata leitura labial
Na segunda (26), o Tricolor entrou com pedido para figurar como 3º interessado no processo do Rubro-Negro.
A petição do Esquadrão foi assinada pelos advogados do clube, Milton Jordão e Cristiano Possídio. Eles se baseiam nas leituras labiais das peritas Maria do Carmo Gargaglione e Valéria Leal, contratadas pela diretoria tricolor, e acusam o técnico Vagner Mancini de ter ordenado o segundo cartão amarelo do zagueiro Bruno Bispo.

Mobilização da torcida do Vitória
A principal organizada do Vitória, a Torcida Uniformizada Os Imbatíveis, promete comparecer ao local do julgamento para protestar contra as acusações ao Leão.