Notícia na Tela

Caminhão de estofados é destruído em incêndio na Pituba

Por Notícia na Tela
1 de março de 2018 07:59 Comentários
Um caminhão que transportava sofás pegou fogo na tarde desta quarta-feira (28) na Rua Minas Gerais, na Pituba, próximo à Perini. O veículo transitava na rua quando acabou atingindo fios de eletricidade, dando início ao incêndio, por volta das 13h30. O fogo consumiu o caminhão, que ficou destruído. Não houve feridos.
Cerca de dez bombeiros foram até o local para atender a ocorrência. No meio do processo de conter as chamas, a água dos socorristas acabou. Por conta do incidente, a rua foi interditada e liberada somente às 15h. 
Caminhão ficou destruído pelo incêndio (Foto: Raquel Saraiva/CORREIO)
Um motorista e um funcionário da empresa Outlet Móveis estavam no caminhão quando o fogo começou. "Preferia morrer que perder o caminhão. O caminhão é mais caro", dizia, no local, Joaquim de Jesus Cardoso, 45 anos, o motorista, chorando muito. “Nunca passei por isso, primeira vez. Quando saímos do caminhão já tava com fogo. Não quis parar o carro de vez porque tinha carro atrás, fiquei com medo de bater. Andei mais pra frente, aí o fio partido foi incendiando tudo”, lembra o motorista. "O fio tava muito baixo. Mas tinha outros assim que a gente conseguiu passar. Quando vimos, já tinha estourado e estava saindo fumaça. Foi tudo muito rápido. Eu quase perdi minha vida", diz o funcionário Lucas Reis, 29, muito emocionado.
"Eles poderiam ter morrido eletrocutados. O caminhão hoje ficou energizado, a fiação deu um curto circuito e provavelmente uma centelha que saiu do fio deu origem ao incêndio", diz o Subtenente Cabral, que esteve à frente dos bombeiros na operação que controlou o incêndio.
Um responsável pela empresa esteve no local e estimou o prejuízo em R$ 100 mil - R$ 30 mil da carga e R$ 70 mil do caminhão. Ele afirmou que vai acionar a Coelba e quer identificar os responsáveis. Segundo a Transalvador, não há restrição nenhuma na via para caminhões. Um veículo da Transalvador foi ao local para remover o caminhão queimado - segundo Lourivando Pereira, da superintendência, como foi perda total, deve seguir direto para a Limpurb.
Carro estacionado foi atingido pelas chamas (Foto: Raquel Saraiva/CORREIO)

Alberto Cunha estava em um dos restaurantes que ficaram sem energia quando o caminhão passou. “O motorista parou assim que pegou no fio, mas a fiação continuou no caminhão. A fiação tava muito baixa. O motorista ficou sem saber o que fazer, e começou a sair fogo do baú. Quando ele chegou lá na frente já tava fogaréu, saindo muita fumaça. A gente ainda usou dois extintores, o do caminhão e um do restaurante, mas foi tudo muito rápido e não conseguimos apagar” conta o industriário de 60 anos. 
A Coelba afirmou que um curto-circuito pode ter provocado o incêndio após a fiação ser arrastada pelo caminhão, mas que a informação ainda será confirmada pelos técnicos da Coelba. “Não temos informação da altura da fiação no momento do ocorrido”, disse a empresa por meio de nota. A concessionária confirmou que um fio da rede elétrica foi rompido pelo caminhão e afirmou que “apenas o cliente que é atendido por esse ramal de ligação teve o fornecimento de energia interrompido”. 
Três carros que estavam estacionados próximos acabaram sendo atingido pelas chamas e tiveram a lataria danificada. "Estava pegando fogo quando chegamos aqui. Até remover o veículo, o trânsito fica interrompido. Não tiramos os carros porque a prioridade é a vida. Um cidadão irresponsável veio e tirou o carro, mesmo a gente falando para ele não fazer isso", afirmou o soldado Cunha, da 13ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM/Pituba).
"Eu estava almoçando. Quando cheguei aqui tava uma confusão na rua, ainda pedi pro policial vir tirar meu carro, mas eles não vieram por segurança. E aí depois vimos as quatro explosões", conta Bárbara Celly, enfermeira de 37 anos que teve seu carro danificado pelo calor. O seguro do carro tinha vencido há quatro dias.
Carro de Bárbara ficou danificado por conta do incêndio (Foto: Raquel Sairava/CORREIO)
Bruno Santos, de 32 anos, estacionou na rua pouco antes do caminhão chegar e também teve seu carro danificado. “Eu vi quando começou o incêndio e quando o caminhão pegou o fio. A gente pensou que tinha apagado e deixamos o carro aqui. Ainda vi se o motorista precisava de ajuda, mas achei que estava tudo sob controle”, diz o técnico de segurança no trabalho. Ele estima o prejuízo no seu carro em R$ 3 mil.
A Coelba alerta para que a população, sempre que verificar a existência de fios soltos ou no chão, não se aproxime e entre em contato imediatamente com a concessionária, através do número 116, para que técnicos verifiquem a situação, mesmo que não sejam cabos da empresa. “A concessionária entrará em contato com a empresa responsável pela fiação para que as medidas cabíveis sejam adotadas”, afirmou em nota.
Correio