Notícia na Tela

Jovem suspeito de assaltos em S. A. de Jesus, nega as acusações da Polícia

Por Notícia na Tela
27 de abril de 2018 16:48 Comentários
Foto: Voz da Bahia 
Jovem que foi preso em operação conjunta realizada pelas Polícias Militar e Civil na última terça-feira (24) procurou a reportagem da Voz da Bahia para negar as informações passadas pela polícia. Kalian Alves de Jesus, 19 anos, foi suspeito de ter em seu poder celulares e uma moto roubada, ele afirmou categoricamente não ter cometido o crime algum (relembre aqui). De acordo com a Polícia Civil, Kalian foi apontado por testemunhas na última segunda-feira (23), por está com esses objetos de roubo, “fui surpreendido no meu trabalho com a chegada da polícia para me levar preso na última terça-feira (24), nesse dia que eles falaram que teve esse roubo, eu cheguei ao meu trabalho, fiquei em minha casa, sai no outro dia de manhã para trabalhar, na hora que eu estava no trabalho os policiais chegaram dizendo que 'minha casa tinha caído'. Eu disse a eles: Não entendi nada”, rebateu.
O motivo de suspeita da Polícia? Para Kalian, o motivo da prisão se deu por causa de uma motocicleta modelo Bros, “a moto estava na mesma rua que resido, aqui no bairro Alto do Santo Antônio, a moto que seria da minha irmã foi confundida com uma motocicleta que teria sido roubada. Essa acusação é porque tinha uma moto igual na mesma rua que eu moro”, garantiu. Ainda em entrevista ao Voz da Bahia, o rapaz também estava acompanhando de seu cunhado Reginaldo Sampaio de Jesus, que veio dizer que tem provas que Kalian no momento do assalto estava deitado em um sofá na sua casa, conversando com uma mulher, “temos prints do Whatsapp dele e o horário que conversava com a mulher”, alegou.
Testemunhas: O jovem de 19 anos, na conversa mostrou-se bastante preocupado, “minhas fotos foram divulgadas pela polícia e associadas ao crime, denegriram minha imagem, eu sou um cara trabalhador, quem me conhecesse sabe. Os policiais não têm culpa de nada, estavam fazendo o trabalho deles, mais tenho certeza absoluta que as testemunhas se equivocaram", concluiu. 
Voz da Bahia