Notícia na Tela

DIA DAS MÃES (Luzitânia Silva)

Por Notícia na Tela
13 de maio de 2018 12:23 Comentários
Costumeiramente é comemorado, em todo segundo domingo do mês de maio, o “Dia das Mães”. Não entrarei no mérito da questão do marketing, do consumismo, etc. e tal. Explanarei, tão somente e de modo não tão romântico como costumeiro, especialmente neste período, o que para mim, reles mortal, significa ser mãe.
Quando pequena, via minha mãe como um ser extraordinário incapaz de errar. Um anjo na terra. A figura mais dócil, incrível e acima do bem e do mal, conhecida por mim até então. Aos poucos fui percebendo certa fragilidade em seu olhar. Pude notar seu choro contido, seu sofrimento velado e sua necessidade de ajuda. Caí na real. Ela era humana! Não poderia ser um ser de outro planeta, imortal, como vislumbrado até então. 
Adquirindo consciência, captei nuances, algumas de suas virtudes e defeitos, não negando o quão aquilo era confuso para minha cabecinha de menina. De todo modo, imagino ter sido diversas vezes o mais empática possível, noutras (na maioria) deveria sê-lo. Cresci, amadureci e me vi sendo mãe, posição desconhecida até então. Não foi fácil! Na verdade ainda não está sendo e não tenho certeza se em algum momento de minha vida será.
Quando vejo uma mulher dizendo estar grávida, uma miscelânea de sentimentos me toma completamente. Lembro-me logo das delícias e dos apuros passados. Caso alguém me pergunte como foi esse processo, jogo a real, ciente de que cada caso é um caso. Destaco os enjoos, as dores, os choros, os medos, o peso na barriga, elucido as vezes em que eu nem conseguia dar um passo devido ao chute forte do bebê (o Bahia está perdendo rs), as incertezas da gestação, os hormônios à flor da pele, as abdicações, as mudanças de planos, as manchas ainda mais visíveis no rosto, o cansaço, a dor terrível em amamentar nos primeiros dias, as mordidas nos seios, a tristeza em ver um ser tão frágil chorando sem saber o motivo, as incógnitas, os sorrisos mais lindos, a satisfação mútua de amor e carinho e uma infinidade de coisas mais.  
Minha vida virou de ponta cabeça e até hoje sinto os efeitos desta escolha.
Após me tornar mãe, compreendi: nem todas as mulheres que  conceberam filhos são efetivamente mães. Outras não querem tê-los, neste caso, a sociedade não deve culpá-las por isto. Elas têm livre arbítrio. Ter filho é uma responsabilidade tamanha e nem todos podem, estão preparados ou dispostos a isto. Respeito as opiniões: hoje compreendo os pesos e as medidas. Também entendo que ser mãe não é só gerar, não só criar. Quantas mulheres carregaram em seu ventre um bebê e foram obrigadas a compreender que era apenas um anjo de passagem?
Aprendi, com o tempo, que cada dia sou mais imperfeita. Melhorei como mãe com o tempo, convicta da necessidade de aperfeiçoamento. Vou tateando, tentando achar a saída do labirinto, empenhando-me em ser o melhor possível, contudo erro inumeráveis vezes. Nenhuma mãe é perfeita! Não julgue, ajude a aliviar o fardo: somos todos humanos e suscetíveis a cometer erros. 
Quanto mais vou tentando aprender sistematicamente a ser mãe, vejo-me como reflexo da minha e entendo suas angústias, tenho vontade de pedir desculpas pelos erros cometidos e noto o quão a sociedade é demagoga, machista. Diz que as mulheres devem parir, apontam os dedos para as mulheres zelarem e educarem os seus, todavia quase ninguém faz sua parte. Educação e cuidado com os filhos é obrigação de TODOS.
Às vésperas do dia das mães, vejo postagens emocionantes, “eu te amo” proferido, presentinhos comprados e uma série de coisas, fazendo meus olhos lacrimejarem. Vejo que seria de grande valia não apenas lembrar-se deste dia, sim fazer valer a pena cada instante. Certamente, apenas quem perdeu uma mãe sabe o quão dolorida é a sua ausência. 
Aproveito o ensejo para desejar a todas as mães que não abdiquem inteiramente de suas vidas em virtude de suas famílias a ponto de perderem a própria essência. Vivam! Sejam felizes o máximo possível. Aspiro, a cada uma, todos os dias do ano de apoio, amor, afeto, cumplicidade e reconhecimento de toda sua dedicação.
Feliz dia das mães todos os dias do ano.