Notícia na Tela

Presidente Tancredo Neves: candidatos apontam fraude em processo seletivo da prefeitura

Por Notícia na Tela
3 de maio de 2018 09:02 Comentários
Candidatos que participaram de um processo seletivo na cidade de Presidente Tancredo Neves, no sul da Bahia, procuraram o BNews e denunciaram supostas fraudes ocorridas no certame, realizado pela banca Concursos Públicos, Pesquisas, Eventos e Marketing (Conpevem), com sede em Itabuna. A seleção foi para preenchimento de mais de 240 vagas em diversos setores da prefeitura.
Para reportagem, a mãe de um participante contou que o filho chegou a ser aprovado, entre os primeiros, para um dos cargos, e teve o nome publicado na lista de habilitados no site Conpevem. “Ele foi no setor de Recursos Humanos para se informar. O pessoal mandou aguardar em casa, que ele iria ser chamado. Depois de dois dias saiu um boato que os vigilantes não seriam chamados por não ter concluído 50% da prova”, relata a mulher. 
Diante da situação, mãe e filho decidiram conferir o gabarito com as alternativas marcadas na prova, mas tiveram uma desagradável surpresa. “Ligeiramente fui corrigir o gabarito da empresa que aplicou a prova, e constatei que havia fraude nas respostas. Fomos na prefeitura e a gente foi formado que era verdade, e que não tinha como entrar com recurso porque o prazo era até o dia anterior”, lembra.
Dias depois, segundo participantes que conversaram com o site, a prefeitura anunciou que os vigilantes aprovados no concurso, não iriam mais assumir os postos, seriam terceirizados. “A empresa do concurso informou que a prefeitura iria contratar uma empresa para contratar os vigilantes, mas eu sei que quem é oposição não tem chance”, lembra um deles.
De acordo com o edital, as provas foram compostas de 40 questões, e seriam considerados habilitados os candidatos que obtivessem nota igual ou superior a 50%. Ainda segundo o documento, haveria apenas uma lista de classificação final para todos os candidatos aprovados.
Contrariados com a situação, os participantes prometeram procurar o Ministério Público da Bahia (MP-BA).
O site tentou contato com a assessoria da banca, por meio do número disponibilizado no site dela, mas o telefone é de um escritório de contabilidade. Depois, a reportagem tentou fazer contato por meio de números telefônicos disponibilizados no site da Receita Federal, que também eram de um escritório de contabilidade. Um número de celular foi informado, o qual seria de Antônio Carlos Maia, um dos sócios da empresa, mas a operadora informou que estava programado para não receber ligações.
Por diversas vezes, nesta quarta-feira (2), o site também contatou com a prefeitura, mais de 10 ligações foram feitas, a reportagem era informada que a ligação seria transferida, mas isto não acontecia.
BNews