Notícia na Tela

Pres. Tan. Neves: Menores envolvidos em acidentes de trânsito, a quem responsabilizar?

Por Notícia na Tela
1 de agosto de 2018 20:24 Comentários
Imagem: Arquivo NT
Presidente Tancredo Neves uma cidade jovem, pujante e que que não flui igualmente ao seu crescimento a educação para muitos fatos, situações de riscos, vulnerabilidade, violência de diversas esferas, formação jovem e respeito as leis. Aliás é disto que vamos falar: crianças conduzindo veículos nas vias da cidade, BR e estradas vicinais.
O que rege o código de trânsito brasileiro no artigo 232, é crime de infração leve conduzir sem habilitação, logo se entende que menores de 18 anos estarão ilegal em qualquer circunstância quando estiverem na condução de qualquer veículo motorizado. 
A lei diz ainda que, a penalidade é multa sobe medidas administrativas com a apreensão do veículo, isso é fácil de resolver já que a multa é leve e basta apresentar alguém habilitado pra retirar o veículo.
Mas o grande problema que diariamente a população tancredense tem questionado é o grande número de acidentes com jovens menores, em muitos casos tem levado a morte de forma muito trágica. Desta forma abre-se um "parêntese": de quem é a responsabilidade por estes menores e crianças condutores? Os pais. Porque na maioria dos casos registrados os carros e motos são de seus genitores, ou são eles quem ordenam tal prática para proporcionar locomoção à sua família. 
Atualmente é comum ver jovens fazendo consumo de bebidas alcoólicas nos finais de semana tanto quanto à noite em horário de aula das escolas e, posteriormente, conduzir “suas” motocicletas. Quando pouco mais a frente faz ou se torna vítimas de acidentes, quando não com fatalidade. É neste momento que começam algumas discussões pela necessidade de políticas públicas para os jovens, mas a verdade o que falta são as penalidades da lei.
Fica nítido que não é uma ausência de políticas públicas, mas de autoridade ou respeito as leis, conduzir sem habilitação, conduzir alcoolizado, venda de bebida a menores, apadrinhamento quando a Polícia Militar adota as medidas. 
A verdade é que falta educação de berço, responsabilidade da família, uma vez que o pai ou a mãe diz “pega a moto e vai buscar seu irmão (a), vai comprar um pão... “  é ele o único responsável. Porém ainda pontua outro detalhe, o titular do veículo, este que muita vezes são terceiros, desconhecidos. Isto quando não são transportes de leilão ou fruto de roubo.
Conclusão dos fatos, não falta instrução, é uma população acostumada à comodidade  e ilegalidade, pelo fato de ser interior e cidade pequena desdenham as autoridades e adotam o critério de vitimização.
Notícia na Tela
NOTÍCIA NA TELA www.noticianatela.com.br