Notícia na Tela

Estudantes de Gandu e Ilhéus mostram processo de fabricação do chocolate na Fenagro

Por Notícia na Tela
28 de novembro de 2018 09:31 Comentários
Fotos: Divulgação
Da amêndoa ao chocolate. Você sabe o percurso do cacau até virar chocolate? Para mostrar detalhes desse caminho, uma mini Fábrica-Escola do Chocolate foi instalada pela Secretaria da Educação do Estado e está chamando a atenção no Parque de Exposições de Salvador, na 9ª Feira Baiana de Agricultura Familiar e Economia Solidaria, que integra a programação da Feira Internacional de Agropecuária da Bahia (FENAGRO). A atividade é realizada pelos estudantes que fazem cursos técnicos de nível médio e exercem a parte prática dos cursos, como Nutrição e Dietética, nas Fábricas-Escolas do Chocolate do Centro Territorial de Educação Profissional (CETEP) do Baixo Sul, em Gandu, e do Centro Estadual de Educação Profissional (CEEP) Nelson Schaun, em Ilhéus.

Até domingo (2), período de realização da Feira, os futuros técnicos mostram as etapas do preparo, desde o refinamento até a temperagem, e os chocolates produzidos com diferentes teores de cacau são oferecidos para a degustação dos visitantes. Os estudantes também falam sobre a história do cacau na Bahia, como destaca Tamires Silva dos Santos, 20 anos, do curso Técnico em Agroindústria, do CEEP Nelson Schaun. “Aqui a gente fala da história do cacau na região Sul da Bahia, mostra a amêndoa, a nibs, os equipamentos e o passo a passo para a produção. Entre os maquinários, destaque para a máquina melanger, que serve para moer as nibs e transformá-las em chocolate. Estamos produzindo com 56%, 61% e 70% de teor de cacau”, destacou.
Elza Santos Pinheiro Neta, de 17 anos, estudante do curso técnico em Nutrição e Dietética do CETEP do Baixo Sul, destaca que a experiência tem sido de muito aprendizado. “Estamos aqui colocando em prática o que aprendemos. Está sendo uma experiência maravilhosa. O chocolate desperta curiosidade e muita gente vem querendo entender como ele é produzido, como acontece nossa formação e como funciona a Fábrica-Escola”, afirmou.

A professora Ana Carolina de Souza, do CETEP do Baixo Sul, acompanha os estudantes e fala sobre a importância desta ação para a formação profissional dos mesmos. “A Fábrica-Escola muda a vida dos estudantes e esta iniciativa é mais um passo no compromisso de aproximá-los da realidade profissional, ampliando as possibilidades e dando visibilidade a este trabalho”, afirma.

Tecnologias sociais – Além da mini Fábrica-Escola do Chocolate, a Secretaria da Educação do Estado da Bahia, em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), promove, no âmbito da 9ª Feira de Agricultura Familiar e Economia Solidária, outras atividades como o Balcão Tecnológico, que visa mostrar produtos, tecnologias sociais e experimentos de grande alcance social desenvolvidos pelos estudantes.

Outra ação é PRo Cozinha Show, espaço que promove a Estudantes da Educação Profissional e Tecnológica o acesso a conhecimentos aplicados sobre culinária e cultura com o apoio de importantes chefs do cenário da gastronomia. Cinquenta alunos participam da elaboração de pratos para a degustação do público. Nesta quarta-feira (28), a temática será Comunidade e Ribeirinhos, com a Chef Marina Sabino. No dia 30, o tema será Marisqueiros e Pescadores, com o Chef Fabrício Lemos. As ações ocorrerão das 13h30 às 18h.

A palestra “Educação Profissional e Desenvolvimento Rural na Bahia”, com o superintendente da Educação Profissional e Tecnológica do Estado, Durval Libânio Netto Mello, foi ontem, terça-feira (27), às 14h. A Secretaria da Educação do Estado também integra a programação do II Simpósio de Pesquisas e Experiências em Agricultura Familiar e Desenvolvimento Rural, no dia 30 de novembro.

Ascom/Sec. Educação
NOTÍCIA NA TELA www.noticianatela.com.br