Notícia na Tela

Assassinatos caem 24% no 1º trimestre do ano no Brasil

Por Notícia na Tela
14 de maio de 2019 18:21 Comentários
Foto: G1
O Brasil registra uma queda de 24% nas mortes violentas no primeiro trimestre deste ano em relação ao mesmo período do ano passado. É o que mostra o índice nacional de homicídios criado pelo G1, com base nos dados oficiais dos 26 estados e do Distrito Federal

Isso quer dizer que o país teve 3,2 mil mortes violentas a menos em janeiro, fevereiro e março deste ano em relação a 2018. O número de assassinatos, porém, continua alto.

A tendência de queda nos homicídios do país foi antecipada pelo G1 no balanço dos dois primeiros meses do ano, que apresentaram redução de 25% em relação ao mesmo período do ano passado, e no balanço das mortes violentas de 2018, que teve a maior queda dos últimos 11 anos da série histórica do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, com 13%.

De acordo com o novo levantamento feito pelos repórteres do G1, houve 10.324 mortes violentas no primeiro trimestre deste ano. Apenas o Paraná não informa os dados deste intervalo de tempo. Já no mesmo período de 2018, houve 13.552 assassinatos — também desconsiderando o Paraná, para que seja feita a comparação.

O governo do Paraná informa que os números de janeiro, fevereiro e março ainda estão sendo tabulados para posterior divulgação.

Os dados apontam que:

➤ houve 3.228 mortes a menos no 1º trimestre de 2019
➤ todos os estados do país apresentaram redução de assassinatos no 1º trimestre
➤ quatro estados tiveram quedas superiores a 30%: Ceará, Amapá, Sergipe e Rio Grande do Norte
➤ em números absolutos, o estado com a maior redução foi o Ceará, com 691 vítimas a menos

Brasil registra redução no número de mortes violentas no 1º trimestre 


O ministro da Justiça, Sérgio Moro, disse que "ainda é cedo para fazer qualquer comemoração". "Temos que ver se é uma tendência permanente ou algo episódico. Mas é um bom começo. A violência que leva a esse número absurdo de assassinatos é a mesma violência que vitima os policiais em serviço”, afirmou, em evento no Rio de Janeiro na noite desta segunda (13). Ele voltou a defender o projeto anticrime enviado ao Congresso. "O projeto tem medidas simples, efetivas e eficazes contra o crime organizado."

Causas
Entre os motivos por trás da queda nos assassinatos, segundo o pesquisador do NEV-USP Bruno Paes Manso e o diretor-presidente do FBSP Renato Sérgio de Lima, estão:

➤Diminuição da tensão entre as facções depois da crise nos presídios
➤Mais instrumentos para atuar no comando das facções
➤Crise de 2017 como ponto de alerta
➤Compartilhamento de políticas públicas entre todas as esferas
➤Interesses mútuos dos governos e das facções
➤Programas estaduais de redução da violência
➤Criação do Sistema Único de Segurança Pública
➤Pressão da opinião pública

Ceará: a maior redução
Assim como no balanço do primeiro bimestre deste ano, o Ceará teve a maior queda no número de mortes violentas do país: 56%. O estado teve 546 assassinatos no primeiro trimestre de 2019, contra 1.237 no mesmo período do ano passado.

Em janeiro, o Ceará teve centenas de ataques coordenados por facções criminosas por conta de medidas anunciadas no governo para tornar a fiscalização nos presídios mais rígidas. Por isso, para o pesquisador Luiz Fábio Paiva, do Laboratório de Violência da Universidade Federal do Ceará (UFC), o que houve no estado foi "um regime de não conflito" entre as facções criminosas.

Como o levantamento é feito
Em março, o governo federal anunciou a criação de um sistema similar. Os dados, no entanto, não estão atualizados como os da ferramenta do G1. O último mês disponível é dezembro de 2018.

Os dados coletados mês a mês pelo G1 não incluem as mortes em decorrência de intervenção policial. Isso porque há uma dificuldade maior em obter esses dados em tempo real e de forma sistemática com os governos estaduais. O balanço de 2018 foi publicado pelo Monitor da Violência separadamente, em abril.
G1
NOTÍCIA NA TELA www.noticianatela.com.br
ANUNCIE AQUI!