Notícia na Tela

Santo Antonio de Jesus entre as 26 cidades mais feliz, diz revista

Por Notícia na Tela
15 de julho de 2019 08:01 Comentários
Ainda que a felicidade seja um conceito subjetivo, alguns indicadores de qualidade de vida ajudam a medir a satisfação e o bem-estar dos brasileiros. A Revista Bula reuniu em uma lista as 26 cidades mais felizes do Brasil, considerando uma por estado. Para isso, foram avaliados quatro relatórios: o Atlas de Desenvolvimento Humano no Brasil, publicado pelo PNUD, que classifica as cidades brasileiras de acordo com o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH); o Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal (IFDM), baseado em estatísticas públicas oficiais; o Atlas da Vulnerabilidade Social e o Atlas da Violência, divulgados pelo IPEA. Para escolher as cidades, a Bula fez uma média entre as pontuações que cada uma obteve nesses quatro estudos, que analisam fatores como renda, longevidade, educação, emprego, saúde, saneamento básico e trabalho. Entre os municípios mais bem pontuados, estão São Caetano do Sul, em São Paulo; Maringá, no Paraná; e Vitória, no Espírito Santo.

Cruzeiro do Sul, Acre

Conhecida como Capital do Rio Juruá, Cruzeiro do Sul é o mais importante polo econômico do interior do Acre e o segundo município mais populoso do estado, com aproximadamente 87 mil habitantes. Atualmente, as atividades econômicas da cidade giram em torno da agricultura e da exploração madeireira. Nos indicadores de qualidade de vida, Cruzeiro do Sul alcançou boas pontuações, principalmente nas áreas de educação e saúde.

Penedo, Alagoas

Às margens do Rio São Francisco, Penedo foi o primeiro povoado de Alagoas e é considerada uma das cidades mais bonitas do estado. Fundada no século 16, ainda mantém um centro histórico preservado, cheio de museus e igrejas históricas. Possui aproximadamente 65 mil habitantes e tem sua economia baseada na agricultura e na pesca. Considerado um município pacato e acolhedor, Penedo alcançou bons índices em longevidade e educação.

Macapá, Amapá

Com aproximadamente 494 mil habitantes, Macapá é a 5ª cidade mais rica do norte brasileiro e concentra suas atividades econômicas no comércio, agricultura, extrativismo e indústria. A venda e a exportação de açaí também representam uma fonte de renda importante. Embora não apresente números ideais em educação e segurança, Macapá evoluiu nos últimos 20 anos e se destaca pelo alto índice de longevidade e pela geração de empregos.

Presidente Figueiredo, Amazonas

Localizada na região metropolitana de Manaus, Presidente Figueiredo é uma cidade pequena, com aproximadamente 36 mil habitantes. Suas principais atividades econômicas são a agropecuária, a pesca e o turismo ecológico. Com mais de 150 quedas d’água, o município é chamado de “Terra das Cachoeiras”. No Amazonas, Presidente Figueiredo apresentou a melhor média entre os índices de saúde, renda, educação, longevidade e segurança.

Santo Antônio de Jesus, Bahia

A 187 km de Salvador, Santo Antônio de Jesus é conhecida como a “Capital do Recôncavo Baiano”, por representar um importante polo comercial para toda a região. Com cerca de 100 mil habitantes, o município tem sua economia baseada no comércio e no setor de serviços. A indústria também tem se tornado cada vez mais forte na cidade. Nos indicadores de qualidade de vida, apresenta bons índices, principalmente nas áreas de educação e saúde. Fotografia de Marcos Ribeiro.

Barbalha, Ceará

Localizado na Região Metropolitana do Cariri, Barbalha possui um dos melhores Índices de Desenvolvimento Humano do Ceará, principalmente nas áreas de educação e saúde. Com população estimada de 60 mil habitantes, é um tradicional polo agrícola na região, responsável por grande parte da produção hortifrutigranjeira. A produção industrial e o comércio também são importantes fontes de renda para Barbalha.

Vitória, Espírito Santo

Situada em uma ilha, a cidade de Vitória possui aproximadamente 358 mil habitantes e apresenta um dos melhores Índices de Desenvolvimento Humano (IDH) do Brasil. A economia do município é voltada para as atividades portuárias, comércio, indústria e turismo de negócios. De acordo com dados do Anuário Brasileiro da Segurança Pública, Vitória é a segunda capital com o menor número de homicídios do país.

Itumbiara, Goiás

No sul de Goiás, próximo a Minas Gerais, fica localizado Itumbiara, considerado o melhor município para se viver no estado. Com cerca de 103 mil habitantes, a cidade é um importante polo de distribuição comercial e atrai grandes multinacionais. A agricultura e a pecuária também são relevantes para a economia local. Com alto desenvolvimento, Itumbiara apresenta ótimos indicadores de educação, saúde e renda.

Carolina, Maranhão

Às margens do Rio Tocantins, Carolina é popularmente conhecida como “Paraíso das Águas”, por abrigar muitas cachoeiras e belezas naturais, incluindo o Parque Nacional da Chapada das Mesas. A base da economia da cidade é movimentada pelo comércio, agricultura, pecuária e pelo turismo ecológico. Nos indicadores de qualidade de vida, recebeu boas pontuações em educação e longevidade. Carolina possui cerca de 24 mil habitantes.

Lucas do Rio Verde, Mato Grosso

Lucas do Rio Verde é o melhor município para se viver no Mato Grosso e apresentou ótimas pontuações em todos os indicadores de qualidade de vida, com destaque para as áreas de educação, saúde, renda e longevidade. Com aproximadamente 63 mil habitantes, é uma das pequenas cidades mais desenvolvidas no país e tem sua economia baseada nas atividades da indústria, agropecuária e agricultura.

Três Lagoas, Mato Grosso do Sul

Nos últimos anos, Três Lagoas diminuiu consideravelmente seu índice de vulnerabilidade social e evoluiu nas áreas de emprego, renda, saúde e educação. Pela média desses indicadores, foi eleita a cidade mais feliz do Mato Grosso do Sul. Com cerca de 117 mil habitantes, o município é conhecido como a capital mundial da celulose e tem sua economia pautada na produção de madeira, na siderurgia e na agropecuária.

Poços de Caldas, Minas Gerais

Pela média dos indicadores de qualidade de vida, Poços de Caldas é considerada a melhor cidade para se viver em Minas Gerais. Com cerca de 166 mil habitantes, tem sua economia baseada nas atividades da indústria e do turismo, motivado pela fama das fontes de águas terapêuticas do município. Poços de Caldas já foi apontada pela Unesco uma das cidades mais seguras para os jovens brasileiros e também apresenta baixos índices de desemprego.

Santarém, Pará

Terceiro município mais populoso do Pará, com aproximadamente 302 mil habitantes, Santarém é uma cidade histórica e privilegiada, situada entre os rios Tapajós e Amazonas. Conta com mais de 100 km de praias de água doce que se parecem com o mar, incluindo Alter do Chão, que já foi eleita a mais bonita do mundo pelo jornal “The Guardian”. Além do turismo, a economia local também é movimentada pela agropecuária e pelas indústrias de pequeno porte.

Cabedelo, Paraíba

Cabedelo é um município da Região Metropolitana de João Pessoa e possui aproximadamente 67 mil habitantes. Considerando o produto interno bruto per capita, é a cidade mais rica do estado. A economia local se baseia, principalmente, no comércio, indústria e exportação. Também se destaca o setor de turismo, movimentado pelas belas praias de Cabedelo. Nos últimos anos, a cidade aumentou sua pontuação nos indicadores de educação, saúde e renda.

Maringá, Paraná

Maringá, terceiro maior município do Paraná, possui aproximadamente 417 mil habitantes. Em várias pesquisas, aparece entre as melhores cidades brasileiras, destacando-se por apresentar ótimos índices nas áreas de saúde, segurança e saneamento básico. É considerado um dos municípios mais arborizados do país, preservando no perímetro urbano grandes áreas de mata nativa. Na economia, prevalecem os setores de comércio e prestação de serviços.

Fernando de Noronha, Pernambuco

Com menos de três mil habitantes e único distrito estadual do Brasil, o arquipélago de Fernando de Noronha é conhecido principalmente pelo seu potencial turístico. As praias paradisíacas de águas cristalinas são famosas em todo o mundo. Mas, o arquipélago também se destaca pelos altos índices de educação, renda, segurança e saúde. Em uma pesquisa realizada por alunos da Universidade Federal de Pernambuco, 71% dos moradores se declararam muito felizes com a qualidade de vida na ilha.

Floriano, Piauí

Com cerca de 60 mil habitantes, Floriano representa a quarta maior economia do Piauí, movimentada principalmente pelo comércio e pela agropecuária. Nos últimos anos, a cidade investiu em educação e se tornou um reconhecido polo educacional no estado, com uma ampla rede de instituições de ensino públicas. Nos relatórios sobre qualidade de vida, alcançou boas pontuações nos índices de educação, saúde e longevidade.

Petrópolis, Rio de Janeiro

Poucos locais possuem uma herança do Brasil Império tão rica quanto Petrópolis, cidade da Região Metropolitana do Rio de Janeiro, com cerca de 305 mil habitantes, que ainda preserva seu plano urbano original de 1845. A economia de Petrópolis é baseada, principalmente, no turismo cultural e no comércio. Considerado o município mais seguro do estado, também possui o maior Índice de Desenvolvimento Humano da Região Serrana.

Caicó, Rio Grande do Norte

Caicó é a principal cidade da região do Seridó. Com aproximadamente 69 mil habitantes, atrai milhares de turistas todos os anos para a Festa de Sant’Ana, tombada como patrimônio imaterial do Brasil. Sua economia é movimentada pelos setores de serviço, indústria e agropecuária, sendo que Caicó possui o maior rebanho bovino do estado. Em relação à qualidade de vida, alcançou bons índices nas áreas de educação, saúde e renda.

Carlos Barbosa, Rio Grande do Sul

Localizada na Serra Gaúcha, na Região da Uva e do Vinho, Carlos Barbosa é campeã em qualidade de vida no Rio Grande do Sul. Com cerca de 28 mil habitantes, tem sua economia baseada, essencialmente, no setor industrial, com destaque para a produção de talheres, panelas e equipamentos elétricos. Em todos os relatórios, a cidade obteve boas pontuações, principalmente nas áreas de saúde, educação e renda.

Ji-Paraná, Rondônia

Com 130 mil habitantes, Ji-Paraná é a maior cidade do interior de Rondônia e tem apresentado um acelerado desenvolvimento nos últimos anos. A economia local é baseada, principalmente, na indústria, agricultura e na pecuária. A cidade é tranquila e possui uma boa infraestrutura, além de oferecer à população serviços públicos eficientes. Nos últimos anos, o maior crescimento de Ji-Paraná se deu na área de educação.

Boa Vista, Roraima

Boa Vista é um município planejado, com aproximadamente 375 mil habitantes. Moderna, a cidade se destaca pelo traçado urbano em forma de leque, projetado entre 1944 e 1946 pelo engenheiro civil Darcy Aleixo Derenusson. Nos últimos anos, Boa Vista apresentou uma evolução nos indicadores de educação, geração de renda e longevidade e, por isso, foi eleita a cidade mais feliz de Roraima.

Balneário Camboriú, Santa Catarina

Um dos principais polos turísticos do sul brasileiro, Balneário Camboriú é cercada por belas praias e montanhas. As principais atividades econômicas do município são a construção civil e o turismo. Com ótimos índices de qualidade e expectativa de vida, Balneário é cada vez mais procurado por pessoas da terceira idade: dos 128 mil habitantes, 23 mil são idosos. Além disso, se destaca por ser uma das cidades mais seguras do Brasil.

São Caetano do Sul, São Paulo

Bem próxima à capital do estado, São Caetano do Sul é uma das três cidades da famosa região do ABC, composta também por Santo André e São Bernardo. Com aproximadamente 150 mil habitantes, o município alcançou boas pontuações em todos os relatórios de qualidade de vida, principalmente na área de educação. Além de possuir uma das maiores rendas per capita do país, a cidade também se destaca anualmente pela geração de empregos.

Barra dos Coqueiros, Sergipe

Localizada na Região Metropolitana de Aracaju, Barra dos Coqueiros é uma pequena cidade, com cerca de 30 mil habitantes. É nesse município que se localiza o mais importante porto de Sergipe: o Terminal Marítimo Inácio Barbosa. De lá, saem produtos comercializados por vias marítimas para o restante do país e para o exterior. Além de alcançar bons índices na área de saúde, nos últimos anos o município também melhorou seus indicadores de educação.

Paraíso do Tocantins, Tocantins

Situada no Vale do Araguaia, Paraíso do Tocantins possui aproximadamente 51 mil habitantes. A economia local é baseada na indústria, principalmente na produção de cerâmica, e no comércio. A cidade possui o segundo maior Índice de Desenvolvimento Humano do estado, perdendo apenas para Palmas. Mas, pelos indicadores de violência, Paraíso supera a capital, sendo o melhor município para se viver em Tocantins.
Revista Bula
NOTÍCIA NA TELA www.noticianatela.com.br
ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!