CSS RAPIDOS

>
ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!

quarta-feira, 25 de outubro de 2023

Estudante dorme demais, perde parada em estação e fica preso no trem do metrô de Salvador


  • Hebert Henrique ficou preso na Estação da Lapa e acessou área "secreta" do equipamento.

    Um estudante baiano viraliza nas redes sociais depois de dormir demais e ficar preso no metrô de Salvador. O caso aconteceu na tarde de terça-feira (24) e arrancou risadas de quem assistiu os vídeos gravados pelo jovem.

    Hebert Henrique Souza Santos, de 23 anos, usa o metrô diariamente para se deslocar entre o bairro onde vive, na Avenida Suburbana, o trabalho na Avenida Pinto de Aguiar e o campi da Universidade Federal da Bahia (Ufba), onde cursa o Bacharelado Interdisciplinar de Humanidades.

    Na terça-feira, ele pegou o metrô na estação Tamburugy e tinha como destino a Estação da Lapa. Como estava muito cansado, Hebert dormiu assim que fez a baldeação.

    "Encostei a cabeça no vidro, coloquei uma música baixinha no fone e literalmente apaguei", disse.
    A estação da Lapa é a última da linha 1 do metrô de Salvador e, ao chegar nela, o equipamento é esvaziado. Quando o estudante acordou, ele era o único passageiro de todos os vagões.

    Apesar de ter tentado bater no vidro para chamar a atenção das pessoas que estavam do lado de fora, ele não conseguiu sair do vagão.

    "Eu bati no vidro e usei o interfone do metrô, mas ninguém atendeu. Comecei a filmar e postei nas redes sociais, porque se algo ocorresse, alguém ia ver", brincou.

    Depois de ficar parado na Estação da Lapa, com as portas do metrô fechadas, o equipamento começou a andar em direção a uma área que não é acessada pelos passageiros. Segundo Hebert, foram momentos de desespero, porque a medida que o equipamento andava, as luzes se apagavam.

    Depois de alguns minutos, a luz foi reestabelecida e o metrô voltou para a Estação da Lapa, onde Hebert conseguiu descer.

    Depois do sufoco, ele riu da situação e respondeu as dezenas de mensagens de pessoas que o consideravam "sortudo" por ter acessado essa área pouco conhecida pelos passageiros.

    Ele não entrou em contato com a CCR Metrô, que administra o equipamento, porque considerou que a empresa não tinha nenhuma culpa na situação. "Fui eu quem dormi demais", afirmou.

    Hebert ainda lembrou que essa não foi a primeira vez em que "perdeu o ponto" por dormir.

    "Quando entrei na faculdade, dormi demais no ônibus e fui parar em um bairro bem perigoso de Salvador, às 22h30. Como eu fiquei desesperado, o motorista do ônibus me ajudou e me colocou em outro coletivo. Só cheguei em casa depois de meia noite", relembrou.

    O g1 entrou em contato com a CCR Metrô para saber o que um passageiro deve fazer em casos semelhantes ao de Hebert e aguarda retorno.
    Por, g1 BA

    NOTÍCIA NA TELA www.noticianatela.com.br